Horário diário: 10:00 - 18:00

PD1085

Peitoral
Autor: Desconhecido
Centro de Fabrico: Alemanha
Data: Século XV (GUIMARÃES, A. 1946)
Material: Ferro
Dimensões (cm): Alt. 43; larg. 37,5; prof. 20,5
N.º de Inventário: PD1085 / MAS 296 / A.G. 7

Peitoral de couraça em ferro batido. Tem dois botões de fixação da presilha de couro – que os ligava ao espaldar – e quatro orifícios correspondentes a cada presilha.

«Os “peitos” ou “peitorais”, concebidos para a defesa do tronco, são uma das peças nucleares do arnês. Protegiam a parte da frente do tronco e, inicialmente, eram compostos por uma só placa, de ferro ou de aço. É possível que, numa fase muito primitiva, tenham sido utilizados como ‘simples’ reforço das cotas de malhas.

Infelizmente, nas representações iconográficas […] raramente são visíveis, porque se encontravam escondidos por loudéis, perpontes, gibões ou cotas-de-armas, debaixo dos quais eram geralmente envergados. Por isso é muito difícil traçar um quadro evolutivo exato destas peças, sobretudo no que ao século XIV diz respeito. […] Nos começos do século XV, o abandono da moda dos gibões e perpontes muito justos permitiu à escultura tumular denunciar peitorais compostos de uma só placa, com o centro desta geralmente marcado por uma aresta vertical […].»
João Gouveia Monteiro in PALMELA 1990

De modo a que o portador da armadura não se cortasse com o próprio peitoral, as orlas eram viradas para o exterior, o que também reforçava a proteção das juntas.