Horário: Todos os dias, das 10h00 às 18h00

Rua Conde Dom Henrique

4800-412 Guimarães

PD0500

Objeto museológico (PDB)

Aquário
Autor: Desconhecido
Centro de Fabrico: China
Data: Século XVIII (Dinastia Qing, período de Qianlong)
Material: Porcelana
Dimensões (cm): alt. 41,2 x Ø 60,9
N.º de Inventário: PD0500

Grande aquário circular, com colo curto e cintado, aba plana de bordo direito, assente em pequeno pé inclinado para fora. Pegas em forma de cabeça de leão budista e sem as respetivas argolas.

A decoração do aquário está organizada em banda com os registos decorativos separados entre si por traços azuis sob o vidrado. No corpo, entre as pegas, duas cenas de jardim idênticas com dois grandes ramos de peónias desabrochadas, enquadradas por rochedos e arquiteturas de jardim. Duas aves pousadas num rochedo e num ramo, respetivamente, rematam a composição floral.

No interior do aquário estão pintados carpas, um caranguejo e um lagostim.

À decoração original na paleta “imari chinês” parece ter sido acrescentado, na Europa, as aves e folhas em tons de sépia, sombreados e alguns detalhes em ouro e ainda parte da folhagem vermelho ferro e esmalte azul em redor das grandes peónias.

Esta tipologia de peças decorativas, caracterizada não só pelas grandes dimensões, naturalmente de difícil execução, como pela decoração cuidada, foram largamente apreciadas na Europa em geral e em Portugal em particular, onde aliás se conhecem vários pares. Estes aquários fariam certamente parte da decoração dos espaços de vivência privados, mas desconhece-se ainda o seu modo de uso, ao contrário dos seus congéneres na China onde eram recorrentemente usados como aquários para decoração de salas.

Maria Antónia Pinto Matos