Horário diário: Todos os dias, das 10h00 às 18h00 (última entrada 17h30).

Rua Conde Dom Henrique

4800-412 Guimarães

PD0312

Boião de Botica
Autor: Desconhecido
Centro de Fabrico: Fábrica de Darque, Viana do Castelo, Portugal
Data: Século XVIII
Material: Barro
Dimensões (cm): Alt. 23,3; Ø 18,4
N.º de Inventário: PD0312

A profissão de farmacêutico tem vários séculos de existência, remontando às origens da humanidade. No entanto, as primeiras farmácias no mundo – as Boticas – surgiram por volta do século X, em conventos de França e Espanha.

Em Portugal, os primeiros boticários terão surgido no século XIII. A primeira referência à profissão encontra-se num documento promulgado pelo rei D. Afonso IV, em 1338. D. Afonso V, em 1449, concedeu uma carta de privilégios aos boticários: a “Carta Régia dos Boticários do Reino”.

Os boticários eram responsáveis pelo tratamento e cura das doenças, produzindo as substâncias necessárias para esse efeito. Os recipientes utilizados para armazenar os produtos da botica eram feitos em diferentes materiais e tinham diferentes tipologias, dependendo da sua função. Os que eram utilizados para armazenar substâncias sólidas e viscosas, tais como ervas, especiarias, conservas, unguentos e electuários, eram geralmente cilíndricos ou ovóides (potes e boiões). As substâncias líquidas, tais como xaropes ou óleos, eram armazenadas em garrafas.

São Cosme e São Damião são os padroeiros dos farmacêuticos.

Objeto museológico (pote de Botica)