Horário diário: Todos os dias, das 10h00 às 18h00 (última entrada 17h30).

Rua Conde Dom Henrique

4800-412 Guimarães

PD0299

Pote (Família Rosa)
Autor: Desconhecido
Centro de Fabrico: Fornos de Jingdezhen, China
Data: c.1730 (Dinastia Qing, período de Qianlong)
Material: Porcelana
Dimensões (cm): Alt. 63,2; Ø 37,3
N.º de Inventário: PD0299

Pote em forma de balaústre, com tampa de encaixe em forma de cúpula e leão sentado. Foi executado em porcelana coberta de “azul soprado” e decorado a ouro sobre o vidrado, de que restam vestígios do padrão “gelo estalado” pontuado com corola de peónias.

Sobre o azul ressaltam três grandes reservas separadas entre si, no ombro e junto ao pé, por três reservas com oito lóbulos. As reservas maiores são pintadas de forma idêntica e cuidada, em vários tons de esmaltes da paleta da “família rosa”, com forte presença do rosa, verde e amarelo.

Apresenta dois faisões multicolores sobre rochedos azuis. O faisão é um dos “Doze Símbolos do Imperador”, representando a autoridade imperial, o reino das aves, e é também emblema de boa sorte.

A técnica “azul soprado” consiste em soprar o pigmento azul de cobalto em pó através de uma cana de bambu, envolta na extremidade por uma gaze, sobre a superfície crua da peça, originando tonalidades de azul de aspeto nublado construídas por sobreposições de partículas aglutinadas, podendo apresentar-se com um espectro variável de tonalidades de azul, desde o mais profundo safira, até ao azul ténue acinzentado.

As peças de porcelana em “azul soprado” podem ser decoradas com desenhos traçados a ouro sobre o vidrado, ou com reservas em branco, obtidas através da sobreposição de um cartão no corpo antes da aplicação do pigmento.

Objeto museológico - pote chinês