Horário diário: Aberto todos os dias

PD0401

Contador / Bargueño
Autor: Desconhecido
Centro de Fabrico: Desconhecido
Data: Século XVII (?)
Material: Madeira (nogueira), metal e marfim
Dimensões (cm): Alt. 73,5; larg. 118,3; prof. 41,8
N.º de Inventário: PD0401

Contador em madeira de nogueira com embutidos em marfim, composto por dois corpos. A caixa possui um tampo rebatível, encontrando-se no interior compartimentos de diferentes tamanhos, decorados com motivos arquitetónicos dourados, padrões geométricos e puxadores em forma de concha. O exterior está decorado com ornamentos metálicos recortados e vazados, aplicados sobre tecido. Possui um puxador em cada uma das ilhargas. A trempe é do tipo “pé de ponte”.

O bargueño, peça de mobiliário tipicamente espanhola, é um escritório portátil, utilizado quer para escrever quer para guardar nas suas gavetas documentos e outros pequenos objetos de valor. Tendo sido introduzido pelos árabes, durante o período da ocupação da Península Ibérica, atingiu o seu auge nos séculos XVI e XVII.

Não se conhece a origem e o verdadeiro significado da palavra bargueño. Tradicionalmente atribui se a origem do nome à povoação de Bargas (província de Toledo), suposto centro produtor deste tipo de mobiliário, bem como poderá ter derivado de um prestigiado entalhador toledano chamado Vargas.

A denominação bargueño foi utilizada pela primeira vez em 1872, por Juan Facundo Riaño, no “Catálogo de Objetos Artísticos Espanhóis” do Victoria and Albert Museum (Londres) e foi admitido pela Real Academia Española em 1914.