Horário diário: Aberto todos os dias

MNMC2842

Tamborete
Autor: Desconhecido
Centro de Fabrico: Desconhecido
Data: Século XVIII
Material: Madeira, veludo, metal e franja
Dimensões (cm): Alt. 53; larg. 59,3; prof. 45,3
Proprietário: Museu Nacional Machado de Castro
N.º de Inventário: MNMC2842

Tamborete com assento estofado e revestido a veludo, com pregaria dourada e franjas em forma de triângulo. Assenta numa base com pernas e travessas torneadas, quadras chanfradas e bolas.

É uma das primeiras formas de mobiliário de assento individual, sem braços nem espaldar. Inicialmente tinha uma forma cilíndrica, que faziam lembrar um tambor, dando, por isso, origem ao nome que hoje lhe atribuímos – tamborete.
No século XVII, na corte de Luís XIV, em Versalhes (França), sentar-se num tamborete, na presença da família real, era uma honra ambicionada por muitos. Estes tamboretes eram de madeira, com pernas curvas, estofados e decorados com franjas, sendo transportados por criados com peruca e com traje de libré (capa sem mangas e presa apenas no colarinho).

Na centúria seguinte, o uso do tamborete em contexto doméstico tornou-se moda, especialmente em França e em Inglaterra, mas, a partir do século XIX, passou a ter um caráter apenas ornamental.