Horário: Todos os dias, das 10h00 às 18h00

Rua Conde Dom Henrique

4800-412 Guimarães

18-A

Objeto museológico (PDB)

Retrato do Rei D. Luís I
Autor: Carlos António Rodrigues dos Reis
Centro de Fabrico: Portugal (?)
Data: 1864
Material: Óleo sobre tela
Dimensões (cm): larg. 99,5 x alt. 123,4
N.º de Inventário: 18-A / PD1206dep

A Casa de Bragança foi, a partir do séc. XV, a mais importante casa senhorial portuguesa tendo-se tornado, em 1640, na quarta dinastia reinante em Portugal e nos seus domínios. D. Luís (31/10/1838 – 19/10/1889) foi uma das figuras emblemáticas desta família real.

Luís nasceu em Lisboa, onde viveu a sua infância na companhia dos seus pais, D. Maria II e D. Fernando, e dos seus seis irmãos. Com o pai terá aprendido a valorizar os estudos tornando-se um homem extremamente sensível às artes. D. Luís pintava, compunha e gostava de tocar piano e violoncelo. Falava corretamente diversas línguas chegando mesmo a fazer traduções de Shakespeare. Mas era principalmente um homem das ciências, com uma enorme paixão pela oceanografia.

A passagem pela Marinha contribuiu para uma melhor perceção da vida e do mundo, tendo viajado pelo reino e pela Europa.

A morte inesperada de seu irmão D. Pedro V, em 1861, eleva-o ao trono. No ano seguinte casa com D. Maria Pia, uma menina de quinze anos de idade, com quem teve dois filhos: D. Carlos (I de Portugal) e D. Afonso (Duque do Porto).

D. Luís, homem de convicções liberais, reina num período de relativo progresso material e de alguma paz política. Do seu reinado ficam para a história três grandes momentos: a abolição da pena de morte, a abolição da escravatura e a publicação do primeiro Código Civil.

D. Luís tem o cognome de o Popular.