Horário diário: Aberto todos os dias

PD0730dep

São Paulo
Autor: Desconhecido
Centro de Fabrico: Desconhecido
Data: Século XVIII
Material: Óleo sobre tela
Dimensões (cm): Larg. 71; alt. 87
Proprietário: Palácio Nacional da Ajuda
N.º de Inventário: PNA 66691

Paulo de Tarso (c. 5 d.C. – 67 d.C.), conhecido como São Paulo, foi um dos mais influentes escritores do cristianismo primitivo. Nasceu em Tarso – na Cilícia (atual Turquia) – e recebeu dois nomes: Saulo (hebreu) e Paulo (romano).

Era um fariseu, de linhagem nobre, que tinha cidadania romana, sendo um feroz perseguidor dos primeiros cristãos.

Segundo o livro de Atos dos Apóstolos, Paulo foi surpreendido com a presença incandescente de Jesus Cristo, em forma de luz e de voz, quando se dirigia para a cidade de Damasco com o intuito de destruir a comunidade cristã, ficando temporariamente cego.

Foi somente após o seu batismo que conseguiu restabelecer a sua visão, tornando-se um dos maiores propagadores e um dos grandes teólogos do Cristianismo. A influência que exerceu no pensamento cristão, foi fundamental, na propagação inicial do Evangelho pelo Império Romano.

S. Agostinho desenvolveu a ideia de Paulo que a salvação é baseada na fé e não nas “obras da Lei”. A interpretação de Martinho Lutero das obras de Paulo influenciou fortemente sua doutrina de “sola fide“.

A sua influência e legado levaram à formação de comunidades dominadas por grupos gentios que adoravam o Deus de Israel, aderiam ao código moral judaico, mas que abandonaram os rituais e as obrigações, por causa dos ensinamentos de Paulo, sobre a vida e obra de Jesus, fundamentados na sua morte e ressurreição.

São Paulo acabaria por ser também perseguido pela sua fé, morrendo decapitado pelas mãos de Nero, em 64 d.C., após o incêndio em Roma.