Horário diário: 10:00 - 18:00

PD1190

Gravura do 5.º Duque de Bragança, D. Teodósio
Autor: Carolus Leoni
Centro de Fabrico: França
Data: Século XVIII
Material: Chapa de cobre e papel
Dimensões (cm): Alt. 35; larg. 61
N.º de Inventário: PD1190

Dom Teodósio (? – 1563)
Por morte de seu pai, D. Jaime, sucedeu no ducado em 1532 e em 9 de Dezembro de 1540 foi nomeado fronteiro-mor das províncias do Minho e de Trás-os-Montes.

Obteve do Papa Pio IV uma bula que o autorizou a fundar, no convento de Santo Agostinho em Vila Viçosa, uma universidade com os mesmos privilégios da Universidade de Coimbra, mas não teve seguimento.

«D. Teodósio tinha agentes na Europa que lhe enviavam relatos dos principais acontecimentos, os quais reunia em volumes, que intitulou “Os Livros de Muitas Cousas» (Joaquim Serrão).

Esta gravura representa-o em meio corpo voltado a três quartos voltado para a direita, com armadura, mão esquerda em cima de uma mesa e a direita no quadril, atrás está um elmo com plumas. No remate inferior, brasão do Príncipe Herdeiro de Portugal.

Outrora, a gravura era um auxiliar inseparável dos livros, sendo o único processo passível de ser repetido nas obras escritas. Foi dos veículos globais mais eficazes para que se tomasse conhecimento visual do mundo e dos seus protagonistas. Só com o desenvolvimento da fotografia é que passou a ser relegada para o território do esquecimento, mas continua a ser uma fonte indispensável de conhecimento do passado.